segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Vespa Antiga? Não!! Falsificação Russa = Vyatka!!!

Sim, você leu direito.

Abaixo temos uma cópia da Vespa feita na Russia, uma cópia descarada, mais pesada que a original, fabricada de 1957 até o inicio dos anos 60.



"A Vyatka é uma marca de Scooters Russa. A VP 150, o primeiro dos 2 únicos modelos da marca, consiste numa réplica da Vespa GS 150 e foi construída sem autorização da Piaggio. Depois da aquisição de uma Vespa GS por um espião russo, em 6 meses construiu-se uma linha de montagem de onde saíram 300 000 unidades deste modelo. Este episódio insólito poderá fundamentar o facto de existir muito pouca informaçao sobre esta scooter.

Em relação à Vespa GS, a Vyatka é mais pesada, cerca de 15 kg, devido ao facto de ser construída numa chapa de aço mais espessa, Contudo, o fraco tratamento anti-corrosão era perceptível, pois, segundo consta, passado 1 ano a pintura já começava a deteriorar-se. Razão está que poderá justificar o fato de tão poucas unidades terem chegado aos nossos dias. É também mais lenta que a Grand Sport devido ao tipo de carburador de reduzido diâmetro.

Tanto quanto sei, apesar de ser uma réplica, desconheço se existe alguma peça da Vespa que possa ser montada na Vyatka. Uma das duas unidades que existem em Inglaterra tem um motor de uma Vespa.

Esta Scooter é super interessante, pois é um pedaço da História da União Soviética, evidenciando o seu modus operandi na Indústria e o poder da propaganda comunista. A propaganda era tão eficaz, que os Russos acreditavam que a Vespa era uma cópia da sua Vyatka, que era motivo de orgulho nacional.
Ao longe parece uma Vespa GS, mas ao perto percebe-se que pelas diferenças geométricas subtis que não é. Qualquer conhecedor de Vespas sabe do que estou a falar."

**Texto fotos e informaçoes cedidas por Daniel Moutinho
A Vyatka VP 150 que aparece nas fotos se encontra a venda no OLX Portugal em caso de interesse podem pesquisar.


quarta-feira, 23 de novembro de 2016

8° Encontro Nacional de Vespas e Lambrettas está próximo!!


Preparem suas Motonetas pois o 8° Encontro Nacional de Vespas e Lambrettas está próximo e será em Campinas e Região, nos dias 25 a 28 de fevereiro de 2017!

Tragam sua família e amigos .

Scooteristas clássicos dos estados do RJ ,MG , SP , PR , SC , RS, além de Argentinos, Paraguaios e quem sabe Uruguaios .

E você Scooterista clássico que é de outro estado não citado aqui ,sinta se convocado a fazer parte dessa grande festa , mais de 100 motonetas rodando juntas ,una se a nós nesse grande evento que é de todos e para todos os que amam as clássicas.

VCB agora é Mundial!!!


Com muito esforço e dedicação!

Foi assim que o VCBR conquistou sua filiação ao Vespa World Club.

Isso marca uma nova era no Vespismo Brasileiro e Sul-Americano.

Parabéns e o nosso muito obrigado a todos os apaixonados pela Vespa, que dê uma forma ou de outra cultivam e partilham com orgulho essa nossa paixão!

Obrigado a todos os clubes Sul Americanos que nos orientaram em toda essa caminhada.

Em breve novidades! Fiquem ligados a nossa página do Facebook.

COMISSÃO DIRECTIVA DO VCBR
https://www.facebook.com/groups/786320154816156/permalink/1141507869297381/

domingo, 20 de novembro de 2016

Propaganda da Vespa Antiga em Curitiba...

Fala meus amigos!

Para começarmos bem a semana, segue propaganda da Vespa antiga quando era comercializada pelas Prosdócimo em Curitiba:



Fonte: http://concessionariasantigas.blogspot.com.br/2016/11/prosdocimo-curitiba-pr-vespa.html

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Vespa com Sidecar Não Pode :(



Bom dia amigos do blog!

Aproveitando o gancho de um comentário que recebi esses dias, segue a legislação atual do Brasil para o uso de sidecars. Infelizmente nossas scooters foram excluídas.

Legislação:
- Pelas normas do Inmetro e do Contran o Sidecar só pode ser adaptado a motocicletas a partir de 125CC.
- No Brasil o Sidecar não pode ser adaptado em motocicletas do tipo Scooter, independente de cilindrada ou de fabricante.- Nunca houve proibição ou restrição de uso do Sidecar, em nenhum tipo de rua, estrada, rodovia/BRs, sejam estas municipais, estaduais ou federais, com ou sem pedágio.
- O pagamento de pedágio por motocicleta com Sidecar adaptado fica a critério da Concessionária da rodovia.
- A motocicleta com Sidecar pode transitar em todo e qualquer lugar que uma motocicleta sem Sidecar possa transitar, respeitados os devidos espaços laterais que se fazem necessários.
- O transporte de crianças em Sidecar só pode ser efetuado com crianças a partir de 7(sete) anos e que tenham condições de cuidar da sua própria segurança, usando capacete e cinto de segurança. A não observância destes requisitos é considerado infração gravíssima conforme Código Nacional de Trânsito, em seu Artigo 244, Itens II e V.
- É vedado o uso simultâneo de Sidecar e semireboque na motocicleta, conforme Resolução 356/2010.
- A nota fiscal do Sidecar deve estar no mesmo nome em está a documentação da motocicleta, indiferente se a motocicleta esteja em nome de pessoa física ou jurídica.
- Até 30 de Abril de 2008, o Sidecar era documentado independente da motocicleta, ou seja, possuía documento próprio, placa própria, (diferente da motocicleta) e o motociclista tinha que estar portando 02 documentos.
- A partir de 01/05/2008 o Sidecar deixou de ser considerado um veículo individual e passou a ser considerado uma "carroceria" para motocicleta.
- Com a alteração do Sidecar de veículo para carroceria o Sidecar deixou de ter chassi e passou a ter um "quadro", assim como, deixou de ter número de chassi e passou a ter um NIEV (Número de Identificação de Equipamento Veicular).
- O Sidecar não possui chassi, portanto não possui pré-cadastro na BIN – Base de Índice Nacional do DENATRAN.
- O Sidecar possui NIEV (Número de Identificação de Equipamento Veicular) - código 119 (carroceria) e tem cadastro na ANFIR-DENATRAN.
- Estão em vigor desde 29/09/2008, as Resoluções 291/2008 e 292/2008, do Denatran que substituíram e revogaram as Resoluções 261/2007 e 262/2007, que estavam em vigor desde 01/05/08 e que alteraram a forma de documentar o SIDECAR.
- Para o emplacamento do Sidecar há duas possibilidades:
• 1ª – Motocicleta já emplacada, deve seguir as normas da Resolução 292/2008 do Denatran.
• 2ª – Motocicleta que ainda não foi emplacada, deve seguir as normas da resolução 291/2008 do Denatran.
- Para motocicletas já emplacadas o cliente deverá efetuar um requerimento ao Detran local, apresentando a nota fiscal do Sidecar e o CAT (Certificado de Adequação a Legislação do Trânsito), que são fornecidos pela Saidbrasil. As orientações sobre o requerimento, a nota fiscal e o CAT são enviados junto com o Sidecar.
- Para motocicletas que ainda não foram emplacadas o cliente deve informar para a Saidbrasil o nº do chassi da motocicleta, para que a Saidbrasil possa efetuar a inclusão do Sidecar junto ao chassi. Para providenciar a documentação da motocicleta com o Sidecar o cliente deverá levar a nota fiscal da motocicleta, a nota fiscal do Sidecar e o CAT ao Detran local.
- O Sidecar terá uma placa idêntica ao da motocicleta em que será adaptado."
(fonte ;http://www.saidbrasil.com.br/)